quarta-feira, 27 de maio de 2009

O retorno do Balão...



Balão estampado em multicores parte em busca das jornadas aéreas. Felizes estão seus tripulantes, plenos frente à possibilidade de conhecer novas atmosferas por novas alturas. Mas afim de que o balão consiga atingir altitudes, necessário se faz que despoje-se de pesadas âncoras de saco. Se não permitir-se deixar para trás um pouco de si mesmo, não será possível seguir.

Muitos olham e pensam apreensivos que aquilo era errado: viajar em um balão, arriscando a própria vida, quando se pode permanecer quieto, no solo e na sua retidão horizontalista. Mas querendo ou não o balão fará sua viajem em busca do não sei o quê. É claro que a viagem nem sempre será tranquila e dificuldades obstaculares surgirão.

Entusiasticamente, os tripulantes não desanimam perante os potencialmente desconfortáveis contratempos; e seguem. Enfim, sedentos de lar, retornam. A experiência adquirida na viagem e a alegria de voltar a habitar, geram no ser uma vivência indescritível. Os seres de ontem e de hoje se reúnem num só em evento nutricionante para a alma.

É assim que a vida dos espíritos viajores: habitando empiricamente em lugar algum; habitando emocionalmente no lar que deixou para trás; habitando existencialmente no mundo.

Para alguns, a viagem é o pecado, o erro. Deixar fisicamente o ponto de referência é abandoná-lo em todos os sentidos, porquanto a expressão máxima da dignidade seria o engessamento.

Imperfeitos, não somos, mas estamos e a viagem continuaria de tempos em tempos. Infelizmente separamos ser e estar na nossa língua portuguesa quando na verdade elas se confundem na vivência de diferentes papéis que os sujeitos interpretam.

Dizer que a dialética é a vida constitui uma redundância, já que estamos sempre a enfrentar situações adversas, reabsorvendo-as enquanto podemos. E a dialética é mesmo magnífica pois faz do erro algo momentâneo e natural. Erro é passagem e não instância.

A buscar as sínteses, viajemos...

2 comentários:

priscila.raiane disse...

Te indiquei ao selo "Olha que blog maneiro". Olha lá: http://palavrasdevaneios.blogspot.com/


Depois volto para comentar alguns poste :)

Abraço!

marcilandia disse...

Muito bom, adorei o texto, parabéns é impressindível pensar na constante viajem que fazemos, ou melhor, que devemos fazer para que seja possível evoluir, seja na matéria, seja no espírito.
Sempre é necessário deixar algumas coisas para trás e seguir em frente o duro é que na maioria das vezes dói.